Os capixabas mostraram que têm espírito empreendedor e submeteram 1272 ideias no programa Sinapse da Inovação Espírito Santo – maior número de ideias inscritas em uma edição fora de Santa Catarina. O Sinapse existe desde 2008 em Santa Catarina e chegou pela primeira vez ao Espírito Santo em 2017, promovido pelo Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes).

Mas você deve estar se perguntando: como selecionar, dentre as 1272 ideias, as 50 mais promissoras?! O desafio é grande! Todos os critérios e o passo a passo das avaliações estão dispostos no edital, mas preparamos esse post especial para você ficar por dentro de como funciona o processo de seleção e avaliação do Sinapse da Inovação Espírito Santo. Tire 5 minutinhos do seu tempo e vem com a gente!

 

 

A seleção dos avaliadores

O primeiro passo para que a avaliação aconteça é selecionar bons avaliadores, especialistas nos setores de aplicação do edital do programa. No início de 2017, o Sinapse realizou cinco workshops (São Mateus, Colatina, Linhares, Vitória e Cachoeiro de Itapemirim) para a apresentação do programa às instituições capixabas, somando 215 participantes, de 106 instituições entre órgãos do governo, incubadoras, ICTI’s, empresas e entidades de apoio.

As instituições tiveram a oportunidade de indicar especialistas para formarem o comitê de avaliação do programa, durante os eventos e posteriormente de forma online. Concomitantemente, a Equipe Sinapse fez a seleção de seus melhores avaliadores que atuam nas edições catarinenses do programa, para incluir no grupo de especialistas alguns avaliadores com experiência em seu processo de avaliações.

 

Para ser um Avaliador Sinapse, o especialista tem seu currículo analisado pelo Comitê Gestor do programa, que homologa aqueles com: (1) comprovada capacidade técnica; (2) experiência de mercado; (3) comprometimento em trabalhos anteriores; (4) qualidade dos feedbacks oferecidos aos empreendedores.
Os avaliadores são alocados para análise de projetos dependendo de sua especialidade e temática da ideia submetida. Se o avaliador “A” é especialista em Gestão, projetos voltados à temática serão alocados a ele.

 

A definição dos critérios de avaliação

A metodologia de avaliação do Sinapse foi desenvolvida a partir de estudos realizados com base em diversos mecanismos internacionais de avaliação e seleção de ideias e vem sendo aprimorada há dez anos, desde sua primeira edição em 2008. A cada nova edição, os critérios são reanalisados, com base nos feedbacks de avaliadores e empreendedores, além da inclusão de novas tendências indicadas por estudos.

 

Garantindo o alinhamento de critérios entre os avaliadores

Antes de realizar a avaliação, cada avaliador participa de capacitações, a fim de compreender e alinhar os critérios que serão considerados em cada etapa da metodologia Sinapse. As capacitações, assim como a dos empreendedores, acontecem presencialmente ou de forma online, por meio de vídeos acompanhados de uma apostila com orientações.

 

1272 ideias submetidas… e agora?!

Cada ideia submetida no programa conta com a avaliação de dois especialistas, um do ES e outro de SC, que não tenham vínculo com a instituição de origem do proponente, e que atribuem uma nota e um parecer escrito sobre o projeto. Caso a nota dos dois avaliadores possuam uma discrepância de 20% ou mais, um terceiro avaliador irá atuar como árbitro, de modo a garantir que nenhum projeto seja prejudicado.

As 1272 ideias submetidas passaram por um funil composto pelas 3 fases do programa:

Fase 1: Ideia Inovadora
Fase 2: Projeto de Empreendimento
Fase 3: Projeto de Fomento

 

 

Fase 1: Ideia inovadora

A primeira fase do programa é considerada “pré-qualificatória”, na qual são concedidas capacitações aos candidatos, visando preparação para as fases II e III. Dessa forma, mesmo que a ideia não seja selecionada para a próxima fase, os integrantes da equipe passam por capacitações online que visam orientar o empreendedor acerca do programa Sinapse e também sobre temas como Proposta de Valor, Inovação, Empreendedorismo, Design Thinking, Lean startup, Pitch, Como ser mais criativo, Como formar uma equipe de sucesso, entre outras.

A iniciativa de qualificar durante todas as fases do Sinapse é positiva, pois impacta diretamente um dos objetivos do programa: estimular o aumento da quantidade e qualidade de propostas submetidas aos ambientes de inovação (incubadoras, aceleradoras, espaços de coworking, etc.), por parte das empresas capixabas de base tecnológica.

Existem quatro critérios para a avaliação das ideias submetidas na primeira fase do programa:

 

Por fim, a pontuação da ideia é obtida pelo produto da nota do potencial de inovação pelo potencial de mercado, somadas as notas de maturidade da proposta e do perfil da equipe empreendedora. Ou seja:

 

Ao fim da primeira fase, as 300 ideias que obtiveram as maiores notas são selecionadas. Muitos empreendedores submetem mais de uma ideia na plataforma Sinapse. Assim, caso o proponente tenha mais de uma ideia com nota suficiente para ser aprovada, é selecionada para a fase de Projeto de Empreendimento aquela que tiver obtido a maior pontuação.

 

Fase 2: Projeto de Empreendimento

A segunda etapa do Sinapse da Inovação exige um maior detalhamento sobre o plano de execução da ideia proposta pelos participantes. Ao fim desta etapa, somente 150 projetos continuam na disputa pela subvenção.

O Projeto de Empreendimento traduz-se em um plano para a implementação do negócio do proponente. Assim, por meio da apresentação de fundamentos técnico-científicos e também mercadológicos do produto ou serviço, é possível avaliar o potencial e a viabilidade da ideia submetida.

Para muitos empreendedores, esse é o primeiro plano de negócios criado acima da ideia. Pensando nisso, o Sinapse da Inovação oferece às 300 equipes participantes da fase 2, uma gama de capacitações criadas por especialistas a fim de auxiliar na construção do projeto de empreendimento. Entre elas, estão:

• Palestra Introdutória sobre o Projeto de Empreendimento
• O Modelo Sinapse da Inovação
• Minicurso de CANVAS
• Tecnologia e Inovação
• Desenvolvimento de Produtos Inovadores
• Estratégia de Mercado
• Organização Empresarial e Gestão
• Captação de Investimentos
• Formação de uma Equipe Empreendedora, entre outros materiais complementares.

Além dos conteúdos online, a Equipe Sinapse proporcionou um evento de capacitação presencial que contou com a presença de quase 600 empreendedores.

 

 

O que a equipe de avaliadores Sinapse espera durante a seleção, é encontrar projetos de empreendimento que demonstrem potencial, inovação e viabilidade de se concretizar. Para tal, os avaliadores tem como base a Metodologia Sinapse para o desenvolvimento de novos negócios em 6 vertentes:

 

 

Para atribuição da nota, a metodologia Sinapse leva em consideração os seguintes critérios:

 

A pontuação da segunda fase é obtida pela multiplicação dos três critérios, em que os dois primeiros fornecem o potencial do negócio e o terceiro, o fator de risco, é um redutor que leva em conta a probabilidade de o negócio, mesmo tendo potencial, não resultar em sucesso. Dessa forma, a pontuação 1,0 significa máxima possibilidade de sucesso.

 

 

Selecionados os 150 projetos com as maiores notas, seguimos para a Fase III!

 

Fase 3: Projeto de Fomento

A última etapa do funil consiste na submissão de um projeto de fomento. Mas o que é isso?
O objetivo do Projeto de Fomento é planejar as principais atividades e desembolsos que a empresa efetuará na etapa de Pré-incubação do programa para desenvolver seu produto e seu negócio. Dessa forma, empreendedor deverá desenvolver um planejamento para os meses de pré-incubação respondendo às seguintes perguntas:

 

 

 

Dessa forma, o julgamento dos avaliadores dependerá dos seguintes critérios:

 

 

A seleção dos 50 aprovados depende da consistência de seu Plano de Aplicação dos Recursos. É muito importante atentar aos itens que são financiáveis pelo programa e aos que não são, para que o projeto não seja prejudicado.

 

 

Por fim, a nota final no programa é dada pela soma das notas da fase II e III divididas por 2.

Agora, os 50 projetos contemplados tem um período para formalizar suas empresas e receberem a subvenção, que pode chegar a R$ 50 mil por projeto. Na sequência, durante seis meses, passarão por um processo de pré-incubação com suporte e capacitação para transformar suas ideias em negócios de sucesso.

 

 

 

Feedback aos empreendedores

Vale a pena ressaltar que os pareceres escritos pelos avaliadores são disponibilizados via e-mail para os proponentes que solicitam o feedback, conforme previsto no edital. A Equipe Sinapse acredita que as observações feitas sobre dos projetos podem servir de insumo para a evolução da equipe e desenvolvimento do produto ou serviço, mesmo que a equipe não seja contemplada pelo programa.
(Caso você tenha participado do programa e ainda não solicitou seu feedback, peça para o proponente da sua ideia enviar um e-mail para o [email protected] , com a solicitação e identificação do nome do projeto submetido).

 

Recursos

O Edital que rege o programa possibilita o pedido de recurso nas fases II e III. O proponente pode solicitar, no prazo indicado, o parecer com as justificativas apresentadas pelos avaliadores, podendo solicitar o recurso caso julgue necessário. Todos os recursos são analisados pelo Comitê Gestor do programa para a homologação do resultado final.

 

Outras oportunidades

Se você tem alguma crítica, sugestão ou gostaria de fazer parte da comunidade de avaliadores do Sinapse da Inovação, entre em contato com nossa equipe pelo e-mail [email protected]

Também quero selecionar IDEIAS INOVADORAS

Gostou da metodologia e quer aplicar no seu estado, setor ou empresa para atrair ideias inovadoras? Clique
AQUI e receba mais informações sobre o programa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *