Por que sinapses fazem a diferença: história dos 10 anos do Programa Sinapse da Inovação

 

No mês de maio, o programa Sinapse da Inovação completa 10 anos de história. Tiramos da gaveta o álbum do Sinapse e vamos te contar como foram esses primeiros anos de vida do programa. Afinal, por que sinapses fazem a diferença?

Nascimento

A cidade de Florianópolis, até a década de 80, tinha sua economia baseada no turismo e no serviço público. Como nosso verão é limitado a poucos meses do ano e a Ilha da Magia, cercada por muita natureza, possuí restrições ambientais para a instalação de indústria pesada, foi necessário buscar soluções alternativas para garantir seu desenvolvimento econômico. Nascia então um conjunto de iniciativas, lideradas principalmente pela Fundação CERTI e pela ACATE.

Foram criadas incubadoras, parques tecnológicos, mas ainda faltava um elemento que unisse todos esses mecanismos ao conhecimento que era gerado por estudantes, professores e pesquisadores nas universidades da região.  

Em 2008 nascia então o Sinapse da Inovação, uma iniciativa da FAPESC e da Fundação CERTI para completar a lacuna entre a universidade e o mercado e estimular a criação de uma cultura empreendedora no estado de Santa Catarina.

Lançamento da Operação Piloto do Sinapse da Inovação em Florianópolis em 2008

Escolhendo o nome

O nome SINAPSE é uma abreviação para a sigla Sistema de INcubação Acelerada de Projetos, Soluções e Empreendimentos. Mais do que uma sigla, o nome traz o propósito do programa. O termo SINAPSE no dicionário, quer dizer “local de contato entre neurônios, onde ocorre a transmissão de impulsos nervosos de uma célula nervosa para outra”. Para isso, é necessário estímulo. Para a inovação, também. E esta foi a principal motivação para a criação do Sinapse da Inovação: estimular estudantes, pesquisadores, professores e profissionais dos diferentes setores do conhecimento e econômicos para gerarem ideias e transformá-las em negócios de sucesso.

Prêmio ANPROTEC Melhor Projeto de Promoção da Cultura do Empreendedorismo Inovador (2009)

 

Primeiro ano, primeiro prêmio

Quando ainda estava dando seus primeiros passos, o Sinapse da Inovação foi premiado como o Melhor Projeto de Promoção da Cultura do Empreendedorismo Inovador. O prêmio foi conferido pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) no ano de 2009 e mostra a consolidação de sua metodologia e o reconhecimento nacional do programa.

 

 

Primeiros passos, primeiros aprendizados

Entre 2008 e 2014, o programa realizou uma edição piloto na Grande Florianópolis e 4 edições estaduais em Santa Catarina. À cada operação, o programa teve sua metodologia aperfeiçoada com os aprendizados dos anos anteriores. Neste período, o Governo do Estado investiu cerca de R$ 21 milhões para a operação do Sinapse e subvenção das empresas contempladas. Apenas no ano de 2014, o valor que retornou para o Governo em impostos gerados pelas empresas criadas foi de R$ 27 milhões, mostrando o alto retorno do investimento realizado e a efetividade da política pública. Os resultados do período e principais cases de destaque foram consolidados no primeiro e-book.

 

7 anos, hora de sair de casa para aprender mais

Em 2015, o Sinapse colocou a mochila nas costas e saiu para desbravar o país. Era lançada a primeira edição do programa fora de Santa Catarina, desta vez no Amazonas. Os mais de 4 mil quilômetros de distância mostraram que o empreendedorismo não tem fronteiras. Foram 1188 ideias inovadoras submetidas, que geraram 28 startups manauaras.

Primeira turma do Sinapse da Inovação Amazonas

Amadurecimento

Com sua metodologia consolidada, o programa começou no final de 2015 sua quinta edição em Santa Catarina. Recorde de ideias submetidas até então, o Sinapse recebeu 1719 ideias inovadoras de 118 municípios catarinenses, apoiando a criação de 91 empresas. A edição foi marcada por algumas novidades, entre elas a Feira de Negócios Sinapse da Inovação, que reuniu cerca de 300 pessoas entre empreendedores, empresários e investidores anjos.

Primeira Feira de Negócios do Sinapse da Inovação

Sinapse ganha destaque no mundo

Em 2016, o Sinapse ganha destaque em outros continentes. As sinápticas PackID e Revella ganham o primeiro lugar em competições internacionais – INAM Berlin e AIT Swiss Camp. No mesmo ano, outras 20 sinápticas participaram de um curso da Universidade da Califórnia – Berkeley, no qual desenvolveram e aprimoraram seus negócios.

Sinápticos são destaque em programas internacionais

Espírito Santo

Em 2017 o Sinapse continua desbravando o país. É lançada a primeira edição no Espírito Santo, promovido pelo Governo do Estado por meio da Fapes. A edição capixaba destacou o estado em nível nacional e internacional. O ES apresentou um aumento em 150% do número de startups aprovadas no programa de aceleração InovAtiva Brasil, sendo o estado que mais se destacou ao subir no ranking. Além disso, em abril duas empreendedoras capixabas foram destaque na competição internacional AIT Swiss Camp 2018, conquistando o 1º e 4º lugar geral.

Primeira turma do Sinapse da Inovação Espírito Santo e destaque na competição AIT Swiss Camp

O segredo do sucesso

Mas afinal, por que sinapses fazem a diferença? O Sinapse da Inovação se consolidou como um dos principais programas de incentivo ao empreendedorismo do país. O segredo do sucesso se resume a três elementos: criação de uma comunidade, foco na geração de cultura empreendedora e aperfeiçoamento constante. Tais elementos permitiram que o programa superasse expectativas e impactasse diversas regiões do país.

Os “pais”

É claro que o nascimento e desenvolvimento do programa Sinapse não seria possível sem o envolvimento de diversas pessoas. Mais de 50 mil pessoas em todo o país colaboraram para a construção do programa, participando como proponentes de ideias inovadoras, investidores da BVI, avaliadores, agentes de disseminação ou incentivadores do Sinapse da Inovação. A todos, o nosso muito obrigado!

Algumas pessoas, no entanto, conquistaram nossos corações pela extrema dedicação, com dias, noites e fins de semana comprometidos ao longo desses 10 anos para que o programa fosse um sucesso. Destacamos as contribuições do Prof. Carlos Alberto Schneider, Prof. Antonio Rogerio de Souza e Prof. Sergio Luiz Gargioni, que consideramos os “pais” e principais incentivadores do Sinapse.

Próximos passos

Apesar dos 10 anos, o Sinapse da Inovação, caros amigos, é ainda uma criança. Ainda temos muito o que aprender, desbravar e conquistar. Em breve passaremos por uma fase de rebeldia e esperamos uma vida longa ao programa que impactou e transformou tantas vidas. E, é claro, queremos você ao nosso lado nessa caminhada. Vem com a gente!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *